email para contactos:
depressaocolectiva@gmail.com

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Em pathos

No post anterior, os leitores-participantes  estiveram muito, muito bem. Quase senti empatia com eles.
É um ingrediente tramado. No outro dia, uma mulher abriu a conversa sobre o marido suicida com " Pois  o fulano não se lembrou de mais nada". Tiro de .570 Nitro. Não consegui empatia nenhuma durante  toda  a consulta. Foi desconfortável.
Fora do gabinete sou  muito  pouco empático - por isso abri este post como abri - , mas lá dentro é diferente. Então quando a coisa envolve mortes alcanço um estranho e elevadíssimo  grau de empatia com os sujeitos. Nada de marmeladas, antes pelo contrário. Confronto, arrisco, mas sempre  num clima de solubilidade impressionante, mesmo com gente que acabo de conhecer. A frase daquela mulher inibiu-me. Durante  uns minutos detestei-a. Não vos conto o resto, mas tinha ,  e  tem, boas razões para  a  amargura. Registei, mas não consegui, e ainda hoje não consigo, sentir com ela.
Podemos  ser  e não ser empáticos? No meu caso não é pose, acreditem. Sou pouco empático porque sou egoísta, diletante e tenho défice de atenção. Já no gabinete, sobretudo nos tais casos, sinto-me convocado para a guerra.

8 comentários:

  1. Deve ser muito desagradável para a "mulher" ver-se retratada neste post. Mesmo para os outros "doentes", sobre os quais tece comentários mais empáticos, estas publicações devem gerar algum desconforto, por invasão da privacidade. Bem, mas imagino que o F. já tenha pensado sobre isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como é que sabe que existe esta mulher? Tem NIF, BI, nº de tm?

      Eliminar
  2. Se a Sr.ª não existir o meu comentário não faz qualquer sentido. Se existir é muito fácil rever-se na sua publicação.

    ResponderEliminar
  3. O que não faz sentido é não saber que qualquer escrita deste género utiliza casos reais, alterando dados biográficos, de género etc, de forma tornar impossível a identificação.
    Passe bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  4. Abrir o jogo, como abriu, pode funcionar como substituição da empatia, o que já é um ponto a seu favor. Por outro lado, estes tiros de .570 Nitro são a sua terapia e ainda lha pagam... :)

    ResponderEliminar
  5. Filipe não seja severo consigo ao chamar-se egoista, bastava dizer que é homem. (por acaso não acho ainda hoje tive 2 que mereceram nota vinte, mas ficava bem responder assim, e para a maioria é mesmo)

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.